Criatividade como provocação

Criatividade como provocação

Texto extraído de um seminário organizado pela HSM em Buenos Aires por Eduard de Bono onde ele dá algumas pistas sobre o futuro das corporações. Mas estas pistas podem e devem ser aplicadas em qualquer processo criativo.

Partindo do princípio de onde estamos neste exato momento em termos históricos e sociológicos, existem alguns elementos que serão chave para o futuro: a criatividade, a competência e o capital (infelizmente).

Para algumas pessoas estes elementos chaves não se aplicam, principalmente o capital, mas mesmo que eu não queira estamos vivendo em uma sociedade capitalista onde o capital é o centro das atenções.

Existem outros caminhos para se trilhar sem dar tanta ênfase ao capital mas, no final das contas, a sociedade grita pelo retorno financeiro. Não se deixe levar pelas ideias nefastas do capitalismo mas saiba ser resiliente e viver de bem com o que é muito mais poderoso do que nós.

Somente a eficácia e a resolução de problemas não serão mais suficientes pois a cada vez mais existem pessoas que geram bens. O problema é que muitas corporações e instituições se baseiam na direta e simples resolução de problemas o que as deixam sem novas perspectivas para o crescimento. Se uma empresa ou uma pessoa foca somente na solução de problemas já existentes e recorrentes, não evolui e continua fazendo o mesmo de antes. Criatividade, estratégia e conceitos fazem falta mas podemos melhorar, agora.

Criatividade no poder

Existe uma forma de criatividade que utilizamos quando sabemos para onde vamos e procuramos encontrar uma melhor forma de cumprir este objetivo. Procura-se melhorar e solução de problemas não significa melhorar.

Necessitamos criatividade para analisarmos as informações, pensamento crítico e não nos portarmos como uma esponja que somente absorve liquido sem filtrá-lo. Informações não pensam por nós. Pensar é passar de uma configuração das informações para outra. O desafio é como combinar, cruzar informações para gerar valor. A simples análise das informações não vai produzir ideias pois o cérebro só vê o que está preparado para ver.

A competência, informação e tecnologia estão virando moeda de troca e o desafio é como transformá-los em valor. Despois de um certo ponto a tecnologia não gera mais valor mas sim mais do mesmo.

A criatividade é necessária no mundo pois este está em constante transformação e apresenta novas ameaças e novos desafios, novas formas de ver e interpretar as informações.

O mito do bom pensador

É um mito acreditar que uma pessoa inteligente será um bom pensador. A relação entre uma pessoa inteligente e pensamento é a mesma de um carro potente e seu motorista. Se o motorista não souber dirigir, de nada vale um super carro.

A inteligência pode ser uma armadilha onde as pessoas ficam presas nela só para a utilizarem para comprovar que os demais estão equivocados, mas não sabem como defende-las.

Percepção errôneas

A criatividade não é um bem para poucos, todos tem a possibilidade de desenvolvê-la. Ela não está somente relacionada com a arte mas esta é somente uma parte da criatividade. É necessário se capacitar para aumentar o potencial, esta prática exige treinamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *